Notícias

Rússia na ONU: "Não há justificativa para o veto dos EUA a um cessar-fogo em Gaza"

Na terça-feira, os Estados Unidos vetaram pela terceira vez uma resolução do Conselho de Segurança que pedia um cessar-fogo humanitário imediato na Faixa de Gaza.
Rússia na ONU: "Não há justificativa para o veto dos EUA a um cessar-fogo em Gaza"Gettyimages.ru / Abed Rahim Khatib

Os Estados Unidos não têm "nenhuma justificativa" para vetar os esforços de paz na Faixa de Gaza, onde 80% da população foi "deslocada internamente", disse o representante permanente da Rússia na ONU, Vasili Nebenzia, em uma reunião do Conselho de Segurança na quinta-feira.

"A violência sem precedentes na zona de conflito israelense-palestina já dura quase 140 dias. Os números colossais de perdas e destruição que ouvimos dos oradores hoje falam por si: mais de 29.000 pessoas, incluindo mulheres e crianças", enfatizou o embaixador russo.

Durante seu discurso, Nebenzia também criticou duramente as autoridades israelenses, dizendo que sua ofensiva é "uma política deliberada de Jerusalém Ocidental para expulsar os palestinos de Gaza", o que levará a uma "catástrofe humanitária" na fronteira com o Egito.

O porta-voz também afirmou que os EUA não têm nenhuma alavanca real de pressão sobre as autoridades israelenses e que seus esforços diplomáticos para resolver o conflito em Gaza não resultaram em "nada".

"É óbvio que Washington simplesmente não tem nenhuma influência real sobre o Governo de Israel", disse Nebenzia. "As autoridades de Jerusalém Ocidental estão declarando inequivocamente que a 'limpeza' do enclave durará por mais alguns meses, exigindo a continuação da operação militar, a eliminação da presença da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Oriente Próximo no enclave e o deslocamento forçado dos palestinos de seus locais de residência permanentes", disse ele.

Na terça-feira, os Estados Unidos vetaram pela terceira vez uma resolução do Conselho de Segurança que pedia um cessar-fogo humanitário imediato em Gaza. A embaixadora dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield, disse que o projeto não alcançaria uma paz duradoura, mas prolongaria o cativeiro dos reféns mantidos pelo Hamas.