Notícias

"Quantos mais precisam morrer?": Musk comenta métodos de recrutamento na Ucrânia

O empresário norte-americano reagiu a um vídeo que mostra um ônibus interpelado na fronteira ucraniana, carregando homens que deviam ser recrutados para o Exército.
"Quantos mais precisam morrer?": Musk comenta métodos de recrutamento na UcrâniaRedes sociais

Elon Musk reagiu no último domingo a um vídeo publicado nas redes sociais que mostra a detenção, na fronteira da Ucrânia, de um ônibus que transportava homens de idade de serviço militar.

"Tantas pessoas morreram no último ano sem nenhum progresso. Quantas mais terão que morrer?", indagou Musk em sua conta no X. No vídeo ao qual o bilionário respondeu, alguns indivíduos podem ser vistos puxando brutalmente homens e mulheres para fora do ônibus, jogando-os uns sobre os outros no chão e espancando-os.

O vídeo foi compartilhado por outro empresário americano, David Sacks, que descreveu os eventos, dizendo que "os guardas de fronteira ucranianos pegaram 34 homens em idade de recrutamento que tentavam fugir da Ucrânia". Cada um deles teria pagado 10 mil euros (quase US$ 11 mil) para escapar "do moedor de carne". "A Ucrânia é agora o maior Estado prisional do mundo", enfatizou Sacks.

Os eventos ocorrem em meio a alegações sobre mobilização forçada de muitos homens na Ucrânia. Estão circulando nas redes sociais e nas mídias inúmeras imagens de comissários militares ucranianos "mobilizando" seus futuros soldados, agarrando-os pelos braços e pés na rua e arrastando-os para fora do transporte público ou de suas próprias casas. 

Devido à escassez de tropas, o Verkhovna Rada (o Parlamento ucraniano) aprovou um projeto de lei de mobilização militar no início de fevereiro que endurece as regras de recrutamento no país e restringe significativamente os direitos dos recrutas.