Notícias

Moscou: "Kiev pode estar planejando nova provocação para acusar a Rússia de uso de armas químicas"

Segundo a chancelaria russa, a provocação de Kiev seria por meio do uso de substâncias tóxicas de fabricação ocidental para acusar a Rússia de suposto uso de armas químicas.
Moscou: "Kiev pode estar planejando nova provocação para acusar a Rússia de uso de armas químicas"Gettyimages.ru / Celestino Arce

O regime de Kiev pode estar planejando realizar uma nova provocação antirrussa com o uso de substâncias tóxicas para acusar Moscou de suposto uso de armas químicas, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, na quarta-feira.

Em uma coletiva de imprensa, a porta-voz lembrou que ainda não foi fornecida uma lista de pessoas que, de acordo com alegações das autoridades ucranianas, "foram assassinadas a tiros por soldados russos" na cidade de Bucha no ano passado, o que a Rússia considerou uma "provocação". Ela disse que Kiev agora está planejando realizar algo semelhante.

"Não está descartada a organização de outra provocação anti-russa com o uso de substâncias tóxicas fabricadas no Ocidente para iniciar uma nova campanha nas Nações Unidas e na mídia mundial para acusar nosso país de um suposto uso deliberado de armas químicas", disse ela.

De acordo com Zakharova, o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU) e uma empresa ucraniana especializada na importação de reagentes e precursores químicos estão "ativamente envolvidos na preparação dessa provocação".

A empresa, sediada na capital ucraniana, comprou em outubro e novembro deste ano um pequeno lote de produtos químicos produzidos pela empresa americana Honeywell Research Chemicals, localizada na Alemanha. Os produtos químicos em questão são trietanolamina, que está listada no Anexo Químico da Convenção sobre Armas Químicas, e compostos de sódio contendo nitrogênio, que são altamente tóxicos e têm um efeito destrutivo semelhante ao cianeto.

"De acordo com especialistas russos, esses produtos químicos podem ser usados pelo SBU para produzir uma substância química de combate a fim de realizar uma ação provocativa limitada no território controlado pelo regime de Kiev", disse a porta-voz.

Ela enfatizou que o regime do presidente ucraniano Vladimir Zelensky "continua a cumprir zelosamente as instruções de seus mestres" no Ocidente. "Eles não se importam nem um pouco com as consequências dessa provocação, assim como não se importaram nem um pouco com as consequências do uso de projéteis de urânio empobrecido [...] Zelensky e toda a sua gangue não se importam nem um pouco com as consequências que sua própria população enfrentará se essa provocação for realizada", concluiu.