Notícias

Exército israelense admite ter inundado túneis do Hamas em Gaza com água

As Forças de Defesa de Israel disseram que, ao inundar a infraestrutura do grupo palestino, os militares examinam as características do solo e dos sistemas de água em cada área específica.
Exército israelense admite ter inundado túneis do Hamas em Gaza com águaLegion-media.ru / Abed Rahim Khatib

As Forças de Defesa de Israel (FDI) admitiram na terça-feira que estão inundando com água a infraestrutura subterrânea do Hamas na Faixa de Gaza.

"Nessa guerra, as FDI implementaram novas capacidades para neutralizar a infraestrutura terrorista subterrânea na Faixa de Gaza, canalizando grandes volumes de água para os túneis", diz o comunicado do Exército israelense.

Em meio a preocupações sobre um possível desastre ecológico em grande escala, as FDI garantiram que, antes de inundar a infraestrutura do grupo palestino, os militares examinam as características do solo e os sistemas de água em cada área específica para garantir que nenhum dano seja causado às águas subterrâneas. "Somente rotas e locais de túneis adequados são bombeados, e o método de operação é selecionado caso a caso", afirmam as FDI.

Eles também afirmam que as inundações são um dos vários meios implementados para atingir a infraestrutura subterrânea do movimento na Faixa de Gaza. "Os esforços contra o Hamas incluem ataques aéreos, operações de combate subterrâneas e operações especiais usando meios tecnológicos", detalham as FDI.


De acordo com o Exército, a ferramenta "representa um importante avanço tecnológico e de engenharia na luta contra a ameaça de infraestruturas terroristas subterrâneas e é o resultado do trabalho conjunto de vários serviços de segurança israelenses".

Em dezembro, a mídia informou que Israel havia começado a bombear água do mar para o complexo de túneis palestinos em Gaza, mas a informação não foi confirmada oficialmente. Enquanto isso, imagens do suposto bombeamento de água têm circulado nas mídias sociais. Já houve pedidos para que Israel se abstenha de tais medidas.

Comentando a situação no Oriente Médio, o representante permanente da Rússia na ONU, Vasili Nebenzia, declarou em meados de janeiro que a inundação de tal infraestrutura pode ser considerada "genocídio" e afirmou que as consequências da contaminação das águas subterrâneas - a única fonte de abastecimento de água potável para a população de Gaza - persistirão por séculos. De acordo com o diplomata, as ações de Tel Aviv podem ameaçar "não apenas um desastre ecológico em grande escala, mas também tornar o território do enclave praticamente inabitável".