Notícias

Irã realiza ataques com mísseis balísticos contra "quartéis-generais de espionagem" no norte do Iraque e da Síria

Um dos alvos atingidos foi a sede da agência de inteligência israelense Mossad no Curdistão iraquiano.
Irã realiza ataques com mísseis balísticos contra "quartéis-generais de espionagem" no norte do Iraque e da SíriaRedes sociais / Captura de tela

A cidade de Erbil, capital do Curdistão iraquiano, e o território sírio foram alvos de ataques com mísseis balísticos do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC) do Irã, que anunciou a destruição de "sedes de espionagem e concentrações de grupos terroristas anti-iranianos" na região.

Um dos alvos foi a sede da agência de inteligência israelense Mossad no Curdistão iraquiano, acrescentaram em uma declaração oficial citada pela agência de notícias Tasnim.

A suposta base do Mossad, que estava entre os alvos de Teerã, localizava-se nas proximidades do Consulado dos EUA em Erbil, o que levou a relatos iniciais errôneos de que a instalação diplomática havia sido alvo.

Autoridades norte-americanas garantiram à Reuters que nenhuma instalação dos EUA foi danificada no ataque iraniano. De acordo com uma fonte da AP, dez mísseis caíram na área adjacente ao consulado.

Fontes de segurança iraquianas confirmaram à Reuters que o aeroporto de Erbil suspendeu todo o tráfego aéreo após as explosões na cidade. As forças da coalizão abateram três drones perto do aeroporto, informou a ABC News.

De acordo com autoridades locais, a ofensiva iraniana contra Erbil deixou pelo menos quatro mortos e seis feridos. Entre os mortos estão o empresário e bilionário curdo Peshraw Dizayee e vários membros de sua família, confirmaram fontes iraquianas à Reuters, acrescentando que pelo menos um míssil atingiu sua casa.

Explosões também foram registradas em Aleppo, no norte da Síria. A Guarda Revolucionária Iraniana esclareceu que tinha como alvo as instalações da organização terrorista Estado Islâmico em resposta ao recente ataque em Kerman. Há relatos de que pelo menos um míssil balístico iraniano errou o alvo e atingiu um centro médico a leste da cidade.

As forças iranianas afirmaram ter como alvo os locais de reunião de "comandantes e elementos-chave com uma série de mísseis balísticos" depois que os terroristas reivindicaram a responsabilidade pelo ataque em Kerman em 3 de janeiro, que deixou 84 mortos, e também em resposta ao ataque a um quartel de polícia na cidade iraniana de Rask, que custou a vida de 11 policiais.

Por sua vez, o ataque iraniano a "um dos principais quartéis-generais do regime sionista" no Curdistão iraquiano, usado por Israel "para realizar operações de espionagem e planejar atos de terrorismo" na região, foi realizado em retaliação aos recentes assassinatos dos comandantes da "frente de resistência", incluindo os Guardas Revolucionários, que foram atribuídos aos israelenses.

Nelson Del Castillo, secretário geral da Federação Latino-Americana de Jornalistas, disse à RT que acredita que o Irã emitiu "um aviso aos EUA e seus aliados".

O Departamento de Estado dos EUA condenou os ataques por "minar a estabilidade do Iraque". "Os Estados Unidos condenam veementemente os ataques do Irã em Erbil hoje e oferecem suas condolências às famílias dos mortos. Nós nos opomos aos ataques de mísseis imprudentes do Irã, que prejudicam a estabilidade do Iraque. Apoiamos os esforços do governo do Iraque e do governo regional do Curdistão para atender às aspirações do povo iraquiano", disse o porta-voz Matthew Miller.