Notícias

FDI podem ter atacado deliberadamente o comboio humanitário

Um drone israelense disparou 3 mísseis contra um comboio da World Central Kitchen, matando 7 trabalhadores humanitários.
FDI podem ter atacado deliberadamente o comboio humanitárioGettyimages.ru / Majdi Fathi/NurPhoto

As Forças de Defesa de Israel ( FDI) atacaram o comboio humanitário da World Central Kitchen (WCK) com um drone Hermes 450, que disparou três mísseis contra os veículos da organização do chef espanhol José Andrés, matando sete trabalhadores humanitários, sob a suspeita de que um membro armado do Hamas estivesse viajando com o grupo, disseram fontes ao Haaretz.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou na terça-feira que os militares israelenses "atingiram pessoas inocentes involuntariamente". No entanto, as fontes da mídia israelense acreditam que o ataque ao comboio foi premeditado.

Os caminhões tinham insígnias do WCK nas laterais e no teto, mas os militares israelenses na sede operacional da unidade encarregada de proteger a rota do comboio, acordada com a FDI, suspeitaram que havia um militante armado em um dos carros e decidiram atacar sem informações precisas.

"Estamos nos esforçando ao máximo para atingir os terroristas com precisão e usando cada fio de inteligência e, no final, as unidades no terreno decidem lançar ataques sem qualquer preparação, em casos que não têm nada a ver com a proteção de nossas forças", declarou uma fonte ligada à defesa do país hebreu, descrevendo o incidente como "frustrante".

Ataque a trabalhadores humanitários

Um caminhão que transportava a ajuda humanitária da organização, acompanhado por três veículos que transportavam sete trabalhadores humanitários com cidadania da Austrália, Reino Unido, Polônia e dupla cidadania dos EUA e Canadá, chegou ao armazém em Deir al-Balah, na região central de Gaza. Segundo as fontes, os veículos deixaram o armazém após alguns minutos, deixando o caminhão dentro, onde permanecia o suposto militante.

Depois que o primeiro veículo foi atingido, os funcionários feridos foram transferidos para outro carro. O comboio continuou a viajar e relatou o ataque ao Exército israelense, mas pouco tempo depois o segundo veículo também foi atingido por um projétil. O terceiro carro da WCK se aproximou, cujos passageiros saíram e começaram a transferir os feridos para o último veículo para salvá-los, mas foram atingidos por um terceiro míssil.

"Erro"

O ataque, no qual os trabalhadores foram mortos, foi um "erro", disse o chefe do Estado-Maior da IDF, Herzi Halevi, em uma mensagem de vídeo.

"Quero deixar claro: o ataque não foi realizado com a intenção de prejudicar os trabalhadores humanitários da WCK. Foi um erro que se seguiu a uma identificação errônea, à noite, durante a guerra, em condições muito difíceis. Isso não deveria ter acontecido", disse ele.