Notícias

"Em nome da humanidade": OMS pede a Israel que não ataque Rafah

Os 1,2 milhão de habitantes da cidade de Gaza não têm "nenhum lugar seguro para onde se mudar", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus.
"Em nome da humanidade": OMS pede a Israel que não ataque RafahAP / AP Photo/Hatem Ali

Israel deve renunciar às suas intenções de atacar a cidade de Rafah, em Gaza, e buscar a reconciliação com a Palestina, afirmou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

"Em nome da humanidade, pedimos a Israel que não vá em frente e, em vez disso, trabalhe pela paz", tuitou Ghebreyesus, acrescentando que "não se deve permitir que essa catástrofe humanitária se agrave".

Expressando "grave preocupação" em relação ao plano israelense de prosseguir com um ataque terrestre a Rafah, o chefe da OMS alertou que "uma nova escalada de violência nessa área densamente povoada levaria a muito mais mortes e sofrimento, especialmente com as instalações de saúde já sobrecarregadas".

"Os 1,2 milhão de habitantes de Rafa não têm para onde se deslocar com segurança", continuou Ghebreyesus. "Não há instalações de saúde seguras e em pleno funcionamento para eles chegarem em outras partes de Gaza. Muitas pessoas estão muito frágeis, famintas e doentes demais para serem transferidas novamente", disse ele.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu deu o aval para a operação militar em Rafah, localizada na parte sul do enclave palestino.